O Sistema da Ordo Templi Orientis

Estrutura Iniciática

“Quem nos chama Thelemitas não irá cometer erro, se examinar a palavra de perto. Pois existem nela Três Graus, O Eremita, e o Amante, e o homem da Terra. Faze o que tu queres será o todo da Lei.
(Liber AL vel Legis I:40.)

Todo homem e mulher livre, maior de idade e de bons costumes tem direito inalienável aos três primeiros graus da O.T.O., embora não necessariamente de acordo com o estabelecido por seu próprio cronograma pessoal. A Iniciação só pode ser conferida através de uma cerimônia física, conduzida por um Iniciador autorizado. Para mais informações sobre como requerer afiliação a O.T.O., ver a seção “Afiliação” de nossa Página Principal.

A estrutura da O.T.O. é baseada numa série de graus, divididos entre as Tríades do Homem da Terra, dos Amantes e do Eremita. Nos rituais de Iniciação a esses graus, a Ordem busca instruir o indivíduo nos mistérios da Natureza através de alegorias e símbolos, auxiliando cada Iniciado na descoberta e entendimento de sua verdadeira identidade. Essa estrutura, como um todo, é abaixo apresentada:

O Grau do
Homem da Terra

(A Terceira Tríade)
Minerval Os “Graus
do Oásis”
Misteria
Mistica
Maxima
Homem-Irmão / Mulher-Irmã
II° Magista
III° Mestre-Magista
IV° Perfeito Magista e Companheiro do Sagrado Arco Real de Enoch
PI Perfeito Iniciado ou Príncipe de Jerusalém
Fora das Tríades KEW Cavaleiro do Leste e do Oeste
O Grau do
Amante

(A Segunda Tríade)
Príncipe Soberano Rosa-Cruz e Cavaleiro do Pelicano e da Águia
Cavaleiro da Águia Vermelha e Membro do Senado dos Cavaleiros Filósofos Herméticos
VI° Ilustre Cavaleiro (Templário) da Ordem de Kadosh e Companheiro do Santo Graal
Grande Inquisidor Comandante e Membro do Grande Tribunal
Príncipe do Segredo Real
VII° Teórico e Mui Ilustre Grande Inspetor Geral Soberano
Magus da Luz e Bispo da Ecclesia Gnostica Catholica
Grande Mestre da Luz e Inspetor dos Ritos e Graus
O Grau do
Heremita

(A Primeira Tríade)
VIII° Perfeito Pontífice dos Illuminati
Epítome dos Illuminati
IX° Iniciado do Santuário da Gnose
Rex Summus Sanctissimus
XI° Iniciado do Décimo-Primeiro Grau (este Grau é técnico e não possui relação com o plano geral da Ordem)
XII° Frater Superior e Cabeça Externo da Ordem

Os graus da Tríade do Homem da Terra seguem um padrão baseado no simbolismo dos Chakras, além de encenar o Caminho do Indivíduo na Eternidade. No grau 0°, o Ego, um deus errante, é atraído para o Sistema Solar. O Grau de Minerval (0°) é introdutório à Ordem. Nele, o aspirante é considerado um Hóspede e poderá conhecer o trabalho da O.T.O. e decidir se tornar ou não um membro pleno dela, além de permitir que padrinhos em potencial o avaliem e escolham auxiliá–lo em seus passos seguintes. No grau I° vive–se a experiência do Nascimento. O Primeiro Grau (I°) define ao Iniciado a condição de Irmão da Ordem. Embora possa se desligar da O.T.O., o elo espirtual criado entre o Iniciado e a Ordem durante a cerimônia de Iniciação irá permanecer durante toda a vida do indivíduo. No grau II°, o homem ou a mulher experimentam a Vida. O grau III° representa a Morte do indivíduo e o IV° o mundo além da morte. No grau de PI, o Iniciado adquire simbolicamente a Perfeição e todo o ciclo se dirige para a Aniquilação. Além do grau de PI, o avanço se dá apenas através de convite.

Iniciados do grau intermediário de KEW (Knight of East and West – Cavaleiro do Leste e Oeste) podem ser ordenados ao Sacerdócio da Ecclesia Gnostica Catholica. A Consagração Episcopal da E.G.C. é conferida como parte do Sétimo Grau. O Décimo Grau (X°) se refere ao Rei da O.T.O. num determinado país, no caso de haver nele uma Grande Loja. Nos rituais do V° ao IX° grau estão contidas instruções sobre a Maestria da Vida: filosofia hermética, Cabala, Magick e Yoga preparam o Iniciado para a revelação e aplicação do Supremo Segredo da Ordem.

Nota. Todos os títulos dos Graus possuem seus correspondentes femininos. Assim, Companheiro / Companheira, Cavaleiro / Amazona, etc.

A O.T.O. e a Maçonaria

Ordens Independentes

A Ordo Templi Orientis foi fundada a partir de uma série de ritos regulares e irregulares da Maçonaria há mais de um século atrás. Contudo, em 1918 e.v., sob a liderança de Aleister Crowley, a Ordem passou por uma reestruturação de sua estrutura simbólica e iniciática para adequar–se aos preceitos de Thelema, tornando–se assim um sistema filosófico e iniciático único, soberano e independente, totalmente alinhado com a Lei do Novo Aeon. Como herança histórica, existe ainda um legado maçônico na nossa estruturação em graus sucessivos, bem como na nomenclatura dos Graus. No entanto, a abordagem dos Graus da O.T.O. nada mais tem com a Maçonaria, do mesmo modo que os ritos, formas de reconhecimento e insígnias foram transformados de modo a fazerem jus à Lei de Thelema, sem violar os mistérios ou direitos soberanos maçônicos. Sendo assim, a posse de graus ou títulos maçônico não dá direito a quaisquer graus, títulos, concessões ou privilégios dentro da Ordo Templi Orientis.